segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Exú Mirim

Exú Mirim é uma linha de espíritos que, apesar de inseridos como trabalhadores da Corrente Astral de Umbanda, ao longo dos anos, foram colocados do lado de fora dos Terreiros por puro preconceito, devido a falta de conhecimento e da intolerância com "O Diferente". 

Entretanto, Exú que é sábio e conhece a fundo os Mirins, sabe que o trabalho desses "Exuzinhos" é imprescindível na corrente astral de Umbanda, por isso, acolheu esses espíritos em sua linha e, hoje, trabalha lado a lado com esses grandes "Pequenos Guardiões".

Exú Mirim é uma falange de espíritos infantis que trabalham na linha dos Exús. São grandes trabalhadores do astral e por terem a roupagem fluídica e o mental de crianças apresentam características da personalidade infantil ainda em processo de doutrinação. 

Os Ibejis são aquelas crianças que todos queriam como filhos, pois são dóceis, amorosas, inocentes. Os Exús Mirins seriam os avessos, ou seja, filhos rebeldes, questionadores e difíceis de conviver. É a criança que precisamos doutrinar e amar. 

Possuem grande conhecimento de magia e manipulam com maestria os elementais. São frequentemente enviados, pelos Exús, aos submundos do astral como espiões. Sua sagacidade, rapidez e coragem fazem com que possam se infiltrar nas zonas inferiores sem serem percebidos. 

Quando enviados em missão desagregam e neutralizam trabalhos de baixa magia com a mesma facilidade que plasmam campos de força para a proteção de terreiros ou outros lugares sob a proteção dos Exús. 

Os Exús Mirins obedecem à mesma hierarquia que os outros Exús. Não podemos esquecer que apesar de espíritos infantilizados, não deixam de serem Exús. Trazem no ponto riscado: Os símbolos mágicos condizentes com a linha que trabalham. Os sinais cabalísticos identificam a falange a qual pertencem, o guardião a quem obedecem e o Orixá a quem estão ligados por afinidade. Recebem o "Nome de Guerra" de acordo com sua falange ou com o elemento natural que representam. 

Mirim é o olho que tudo vê, depurando e auxiliando os espíritos necessitados. São os "pupilos" de Exú, que os amparou dando-lhes um campo de ação na Lei de Umbanda. 

Os Mirins vêm resistindo bravamente ao preconceito e descaso com que são tratados, mas não deixam de cumprir o seu papel de "Pequenos Soldados da Lei". Vencendo demanda para filho de fé. Até por aqueles que olham com desprezo e desconfiança os pequeninos Exús trabalhando no terreiro. Para esses, Mirim deixa um recado: 

"Sou a escuridão da luz e a luz da escuridão. Sou o reflexo da tua alma. Fogo, terra, água e ar. Magia de redenção e perdição. Sou ambíguo. Exu. O menor de todos. Pequenino em minha grandeza. Apenas MIRIM!"

Fonte: Fucesp - Federação de Umbanda e Candomblé

Nenhum comentário:

Postar um comentário