domingo, 10 de agosto de 2014

Orixás

Para a Umbanda, os Orixás são elementos da natureza, que não tiveram vida corpórea na terra. Assim sendo, quando dizemos que adoramos Deuses, nós nos referimos a adorar as forças da natureza, forças essas pertencentes á criação do grande Pai. Essas forças em equilíbrio produzem uma enorme energia, que pode ser denominada axé.

Os médiuns não incorporam os Orixás, o que se vê é a manifestação dos Falangeiros dos Orixás, que são os Guias ou Entidades que trabalham sob ordens de um determinado Orixá. 

Cada pessoa recebe a influência de um Orixá, que será seu protetor por toda a vida.

Principais Orixás da Umbanda

Para os principiantes ou simplesmente visitantes, duas dúvidas são bastante recorrentes: “Quantos orixás existem?” e “Quais são os orixás da umbanda?”. Entretanto, para essa pergunta há diversas respostas. Basicamente, o que estão presentes e são cultuados em todas as correntes de Umbanda, são (ordem alfabética) : Iansã, Iemanjá, Nanã, Ogum, Omulú, Oxalá, Oxossi, Oxum e Xangô.




A energia divina representativa em cada Orixá se combina, se conjuga e se harmoniza, desdobrando-se em outras energias que dão origem a outras manifestações da Força Divina na Natureza.

- IANSÃ - é a Senhora dos Ventos, da tempestade. Sua energia é vinculada à força da energia de Xangô. Enquanto Xangô rege o trovão, Iansã atua com seus ventos. 

- IEMANJÁ - Símbolo da natureza feminina, da beleza e da reprodução. Na natureza, liga-se às águas do mar. 

 - NANÃ - é primordial, é a energia que dá origem ao mundo, é a energia que é Criadora, é representativa da junção do elemento Terra e Água, que gera o elemento primordial de onde surgiu toda a vida no Planeta Terra. Da lama surgiu a primeira manifestação de vida no planeta. Dessa energia que surge toda a vida e é para essa energia que volta toda a vida quando finda a encarnação.

- OGUM - Simboliza a idéia de trabalho, de luta, de guerra, de vitória. Na natureza, liga-se aos metais. 

- OMULU - é símbolo de maturidade, de serenidade, amor, compreensão e humildade. Na natureza, liga-se à movimentação das águas, cachoeiras etc. É o estado de experiência do velho. 

- OXALÁ - Símbolo da natureza religiosa, santificada. Não é Deus, mas está abaixo Dele, presidindo seus desígnios. Para os iniciados é o Cristo, para os umbandistas, Jesus. Na natureza, liga-se aos céus e tudo o que nele há.

- OXÓSSI - Simboliza a natureza jovem, de homens e mulheres, a alegria saudável, a energia jovial. Na natureza está ligado às matas. 

- OXUM - A energia do orixá Oxum é feminina, regente das águas doces. Essa energia é também direcionada para a fecundação e concepção.

- XANGÔ - Símbolo da justiça. Envolve o cumprimento da lei de causa e efeito, com os seus “agentes” de naturezas diversas. Segundo os estudiosos, é esse orixá que dá origem à justiça terrena. Na natureza liga-se às montanhas. 

Exu não é Orixá, na Umbanda, mas é o que vem na frente destes, trazendo proteção para suas manifestações. É o concretizador do poder vibracional dos Orixás no Universo Astral. 

http://umbanda-orixas.info/
http://www.genuinaumbanda.com.br/os_orixas.htm
http://paipedrodeogum.blogs.sapo.pt/1423.html

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Oxóssi

Oxóssi é o Orixá conhecido como senhor dos caboclos e das matas. É o caçador de almas de homens e dele emana altivez. Encoraja e dá segurança a todos seus seguidores; protetor dos animais, é conhecido por aliar sua grande força com o bom senso. Assim como Ogum, é um lutador, grande guerreiro, está sempre pronto para defender aqueles que se colocam sob sua guarda.



Lenda de Oxóssi

Divindade da caça que vive nas florestas. Em algumas lendas aparece como irmão de Ogum e de Exú. Filho de Oxalá e Iemanjá é o Orixá da caça; foi um caçador de elefantes, animal associado à realeza e aos antepassados. Diz um mito que Oxossi encontrou Iansã na floresta, sob a forma de um grande elefante, que se transformou em mulher. Casa com ela, tem muitos filhos que são abandonados e criados por Oxum. 
Está estreitamente ligado a Ogum, de quem recebeu suas armas de caçador. 


Filhos de Oxossi

Os filhos de Oxossi são pessoas mais fechadas e reservadas. Gostam de apreciar a natureza e geralmente são muito desconfiados, mas quando confiam, são amigos para todos os momentos. São trabalhadores e conseguem manter a mesma expressão, estando felizes ou tristes, pois dificilmente exteriorizam seus sentimentos. São sempre notados, mesmo que não se esforcem para que isso aconteça.


Curiosidades

Cores: verde
Cores da Guia: contas verdes
Data comemorativa: 20 de janeiro
Habitat: mata fechada
Saudação: Okê Arô!
Okê (monte); arô (título honroso dado aos caçadores) – Salve o grande Caçador!

Nanã

Nanã Buruquê rege a maturidade, portanto está sempre associada à maternidade (a vida). 

Essa Orixá está na Linha da Evolução, um raio essencial para o crescimento dos seres. Ela cuida da passagem no estágio evolutivo do ser, adormecendo os espíritos e decantando as suas lembranças com o passado, deixando-os prontos para reencarnarem. Portanto, o campo preferencial de atuação de Nanã é o racional, pois decanta o emocional dos seres, preparando-os para uma nova "vida". É Ela quem faz esquecer, é Ela quem deixa morrer para renascer.

No culto anterior à chegada de orixás iorubanos à região da atual Nigéria, teria Nanã um posto hierárquico semelhante ao de Oxalá ou até mesmo de Olurum (Zambi angolano). Nos cultos afro-brasileiros é apresentada como a mais velha divindade das águas, tendo associações tanto com a vida, como com a morte ou com posição reservada aos velhos em qualquer sociedade.

É por extensão o Orixá dos pântanos, o ponto de contato da terra com as águas, a separação entre o que já existia (água) e o que foi libertado por mando de Zambi (a terra), sendo portanto sua criação simultânea à da criação do mundo.

Nanã Buruquê é representada como a grande avó, de energia amorosa e feminina é a Ela que clamamos quando precisamos nos auto-perdoar e nos libertar do passado.Ela representa o colo que aconchega, acolhendo amorosamente nossas dores para nos ajudar a transformá-las com sabedoria.


Lenda de Nanã

Segundo as lendas é a primeira esposa de Oxalá, tendo com ele três filhos: Obaluaê (Omulu), Oxumarê e Irôko, os dois últimos não cultuados na Umbanda Tradicional. Este grande Orixá, padroeiro da família, tem o domínio sobre as enchentes, as chuvas, bem como o lodo produzido por essas águas.

Filhos de Nanã

Os filhos de Nanã são calmos, gentis, benevolentes e agem como se tivessem a eternidade toda para tal. Tendem a viver do passado, gostam de crianças e gostam de educar com extrema doçura, assim como as avós. São pessoas que, tanto no aspecto físico como no aspecto psicológico aparentam ter mais idade. São teimosas e às vezes podem ser ranzinzas, porém agem com segurança e equilíbrio.

Curiosidades

Cores: Violeta ou lilás (sabedoria)

Data Comemorativa: 26 de julho

Habitat: Pântanos e lama ou até a Calunga Pequena (cemitério)

Saudação: Saluba Nanã = A Mãe da Sabedoria

Sincretismo Religioso:
Nossa Senhora Sant'Ana