segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Nanã

Nanã Buruquê rege a maturidade, portanto está sempre associada à maternidade (a vida). 

Essa Orixá está na Linha da Evolução, um raio essencial para o crescimento dos seres. Ela cuida da passagem no estágio evolutivo do ser, adormecendo os espíritos e decantando as suas lembranças com o passado, deixando-os prontos para reencarnarem. Portanto, o campo preferencial de atuação de Nanã é o racional, pois decanta o emocional dos seres, preparando-os para uma nova "vida". É Ela quem faz esquecer, é Ela quem deixa morrer para renascer.

No culto anterior à chegada de orixás iorubanos à região da atual Nigéria, teria Nanã um posto hierárquico semelhante ao de Oxalá ou até mesmo de Olurum (Zambi angolano). Nos cultos afro-brasileiros é apresentada como a mais velha divindade das águas, tendo associações tanto com a vida, como com a morte ou com posição reservada aos velhos em qualquer sociedade.

É por extensão o Orixá dos pântanos, o ponto de contato da terra com as águas, a separação entre o que já existia (água) e o que foi libertado por mando de Zambi (a terra), sendo portanto sua criação simultânea à da criação do mundo.

Nanã Buruquê é representada como a grande avó, de energia amorosa e feminina é a Ela que clamamos quando precisamos nos auto-perdoar e nos libertar do passado.Ela representa o colo que aconchega, acolhendo amorosamente nossas dores para nos ajudar a transformá-las com sabedoria.


Lenda de Nanã

Segundo as lendas é a primeira esposa de Oxalá, tendo com ele três filhos: Obaluaê (Omulu), Oxumarê e Irôko, os dois últimos não cultuados na Umbanda Tradicional. Este grande Orixá, padroeiro da família, tem o domínio sobre as enchentes, as chuvas, bem como o lodo produzido por essas águas.

Filhos de Nanã

Os filhos de Nanã são calmos, gentis, benevolentes e agem como se tivessem a eternidade toda para tal. Tendem a viver do passado, gostam de crianças e gostam de educar com extrema doçura, assim como as avós. São pessoas que, tanto no aspecto físico como no aspecto psicológico aparentam ter mais idade. São teimosas e às vezes podem ser ranzinzas, porém agem com segurança e equilíbrio.

Curiosidades

Cores: Violeta ou lilás (sabedoria)

Data Comemorativa: 26 de julho

Habitat: Pântanos e lama ou até a Calunga Pequena (cemitério)

Saudação: Saluba Nanã = A Mãe da Sabedoria

Sincretismo Religioso:
Nossa Senhora Sant'Ana

Nenhum comentário:

Postar um comentário