segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Cosme e Damião... Quem é Doum?

Ibeji

O Ibeji é o único Orixá permanentemente duplo no qual rege a falange das crianças que trabalham na Umbanda.

No dia 27 de setembro (Dia de Cosme e Damião, com quem são sincretizados), é costume dos Templos abrirem suas portas e oferecerem doces para as crianças, elevadas à condição de representantes na terra do Orixá. 



Segundo algumas fontes eles eram árabes e viveram na Silícia, às margens do Mediterrâneo, por volta do ano 300. Praticavam a medicina e curavam pessoas e animais, sem nunca cobrar nada, motivo pelo qual eram chamados de anárgiros, ou seja, aqueles que não são comprados por dinheiro. 

O culto aos dois irmãos é muito antigo, havendo registros sobre eles desde o século V, que relatam à existência, em certas igrejas, de um óleo santo, que lhes levava o nome, que tinha o poder de curar doenças e dar filhos às mulheres estéreis. 

Uma característica marcante na Umbanda e no Candomblé em relação às representações de São Cosme e São Damião é que junto aos dois santos católicos aparece uma criancinha vestida igual a eles. Essa criança é chamada de Doum ou Idowu, que personifica as crianças com até sete (7) anos, sendo ele o protetor das crianças nessa faixa de idade.



Entre os adeptos da Umbanda, reza a crença de que para cada dois gêmeos que nascem, um terceiro não encarna neste mundo. Mas, embora não apareça de forma física, Doum também é venerado e respeitado como parte da família dos Ibejis, considerado “aquele que não veio”. Por isso, o mito de Doum também serve de consolo quando uma criança morre bebê ou ainda no ventre materno. Nesses casos, a partida é entendida como o retorno de um desses seres divinos ao mundo do qual não conseguiu se despedir. 

Existe também a crença popular, de que Doum era filho de uma empregada da família dos gêmeos, Cosme e Damião e que morreu no dia seguinte ao martírio dos irmãos, e foi levado por eles que o amavam muito. 

As Crianças 

Ibejada, Erês, Dois-Dois, Crianças... São esses vários nomes para essas entidades que se apresentam de maneira infantil. São a alegria que contagia a Umbanda, descendo aos terreiros simbolizando a pureza, a inocência e a singeleza.

São espíritos que já estiveram encarnados na terra e que optaram por continuar sua evolução espiritual através da prática de caridade, incorporando em médiuns. Em sua maioria, foram espíritos que desencarnaram com pouca idade (terrena), por isso trazem características de sua última encarnação, como a fala de criança, o gosto por brinquedos e doces e jamais devemos julgá-los fracos devido à forma como se apresentam, ou seja, como crianças, pois depois de Oxalá são os únicos que dominam totalmente a magia.


Esses espíritos puros trazem a cura para as doenças e amparam todas as crianças enquanto elas manterem a inocência. São poderosos aliados das forças do bem, sendo que nada maligno consegue resistir a eles.  

A eles podemos pedir proteção contra demandas e malefícios e principalmente proteção para nossas crianças e as enfermas. Mas atente-se ao pedir ajuda a linha de Ibeji, faça-o com o coração isento de mágoas e amarguras, pois por serem extremamente positivos, afastam-se das pessoas interesseiras, com pensamentos negativos e egoístas. 

Os pedidos feitos a uma criança normalmente são atendidos de maneira bastante rápida. Entretanto, a cobrança que elas fazem dos presentes prometidos também é. Nunca prometa um presente a uma criança e não o dê assim que seu pedido for atendido, pois a "brincadeira" (cobrança) que ela fará para lhe lembrar do prometido pode não ser tão "engraçada" assim.

No Candomblé, o Erê, tem uma função muito importante, pois como o Orixá não fala, é ele quem vem para dar os recados do pai e tem normalmente nomes ligados ao dono da coroa do médium. Já na Umbanda, eles tem os nomes relacionados normalmente a nomes comuns, normalmente brasileiros: Luizinho, Leozinho, Pedrinho, Ritinha, Aninha, Mônica, etc.
Características:

Cor: Rosa e azul (branco, colorido).
Fio: Azul e Rosa.
Bebida: Guaraná, suco de frutas, etc.
Comidas: Doces e Frutas
Sincretismo: São Cosme e São Damião.
Data Comemorativa: 27 de Setembro.
Pontos da Natureza: Jardins, praias, cachoeiras, matas...