quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Umbanda: Um Ato de Coragem

Em uma de minhas passagens por uma página amiga, encontrei esse texto que fez com que me emocionasse e me questionasse e então, resolvi compartilhar com vocês:

"Ser umbandista é um ato de coragem. Digo isso porque, ter uma proposta real de crescimento espiritual implica, antes de qualquer coisa, em comprometimento. 

E quantos estão realmente comprometidos com o crescimento espiritual de si mesmos?

O Caboclo das Sete Encruzilhadas nos trouxe estas palavras: “Umbanda é a manifestação do espírito para a caridade.” Mas, fazer a caridade pura e simplesmente não implica em ser uma pessoa melhor, pois para se tornar melhor, é preciso o autoconhecimento. 
Porém, muitos fazem a caridade por desencargo de consciência e outros ainda a fazem por vaidade e qualquer ação que vise apenas ser melhor do que os outros é apenas fruto do ego. 
Não se enganem: o único verdadeiro mérito está em sermos melhor do que nós mesmos. 
O Caboclo das Sete Encruzilhadas também nos disse que: “aprenderemos com quem sabe mais e ensinaremos a quem souber menos, e a ninguém voltaremos as costas.” 
Nessa frase o Caboclo coloca dois pilares extremamente importantes para a Umbanda: o crescimento e aprendizado.
Mas o que é o crescimento? 

Para entender o verdadeiro crescimento, é importante lembrar que não podemos supervalorizar o dom da mediunidade em detrimento do ser humano que somos. 
Não podemos ser umbandistas que se acomodam na posição de apenas ir ao terreiro, incorporar nossos guias, trabalhar, e depois voltar para casa, sem nenhum comprometimento com nosso crescimento interior.
O crescimento é aprender na Umbanda as mesmas lições que diariamente tentamos ensinar aos nossos irmãos mais necessitados. É tentar ser tão bom quanto se ensina a ser. É aplicar em si mesmo todas as lições ensinadas pelas entidades. É refletir se praticamos aquilo que ensinamos.
E o que é o aprendizado?

A maioria das pessoas acredita que o aprendizado consiste em ler livros e fazer cursos, mas isso representa apenas uma parte do verdadeiro aprendizado. 
O aprendizado começa com o identificar dos nossos defeitos e a procura dos caminhos para corrigi-los. Quanto mais comprometidos e sinceros com nós mesmos, mais vamos ter coragem de conhecer os nossos defeitos e lutar por uma transformação interior.
E assim, unindo o aprendizado com o crescimento, todo umbandista poderá sentar em reflexão e perguntar a si mesmo, sabendo que a resposta está em seu coração: 

"Você faz a caridade porque é bom ou você é bom porque faz a caridade?"

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

A Prece de um Exú

Sou Exu, senhor meu pai, permite que assim te chame, pois na realidade, tu é, como és meu criador, formaste-me da poeira ástrica, mas como tudo que provém de ti, sou real e eterno.
Permite senhor, que eu possa servi-te nas mais humildes e desprezíveis tarefas criadas pelos teus humanos filhos. Os homens me tratam de anjo decaído, de povo traidor, de rei das trevas, de gênio do mal e de tudo o mais em que encontram palavras para exprimir o seu desprezo por mim; no entanto, nem suspeitam que nada mais sou do que o reflexo deles mesmos. Não reclamo, não me queixo porque esta é a tua vontade.
Sou escorraçado, sou condenado a habitar as profundezas escuras da terra e trafegar pela sendas tortuosas da provação.
Sou invocado pela inconsciência dos homens a prejudicar seus semelhantes, sou usado como instrumento para aniquilar aqueles que são odiados, movido pela covardia e maldade humanas sem contudo poder negar-me ou recorrer.
Pelo pensamento dos inconscientes, sou arrastado a exercer a descrença, a confusão, e a ignomínia, pois esta é a condição que tu me impuseste. Não reclamo, senhor, mas fico triste por ver os teus filhos que criaste a tua imagem e semelhança, serem envolvidos pelo turbilhão de iniquidades que eles mesmos criam, e eu, por tua lei inflexível, delas
tenho que participar.
No entanto senhor, na minha infinita pequenez e miséria, como me sinto grande e feliz quando encontro algum coração, um oásis de amor e sou solicitado a ajudar na prestação de uma caridade.
Aceito sem queixumes, senhor, a lei que, na tua infinita sabedoria e justiça, me impuseste, a de execuro de consciência, mas lamento e sofro mais porque os homens até hoje, não conseguiram compreender-me.
Peço-te, oh pai infinito, que lhes perdoe.
Peço-te, não por mim, pois sei que tenho que completar o ciclo da minha provação, mas por eles, os teus humanos filhos.
Perdo-os, e torna-os bons porque somente através da bondade do seu coração, poderei sentir a vibração do teu amor e a graça do teu perdão. 

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Saudações

Algumas vezes utilizamos alguns tipos de cumprimentos ou saudações que muitos, principalmente iniciantes, desconhecem...


AGÔ: Significa pedir licença ou permissão, em outros momentos, pode ter o sentido de um pedido de perdão ou proteção pelo que se está fazendo.



AXÉ: Essa expressão tem em si diversos significados. Pode significar: força, poder, energia positiva, "amém" e até mesmo fazer referência a religião ou a casa em que frequenta.



MALEME ou MALEIME: Tem o significado de um pedido de socorro, de clemência, de auxilo ou ajuda, de misericórdia.



MOTUMBÁ: Tem em seu sentido, ou melhor, em seu significado o pedido de benção.



MOTUMBÁ AXÉ: Resposta a Motumbá.



SARAVÁ: Tem o significado de saudação: "Salve" ou "Bem vindo"